Quarta-feira, 17 de Setembro de 2008

Eléctricos na Baixa para cativar turistas

O alvo são os turistas, mas qualquer um pode, a partir de segunda-feira, andar de eléctrico num percurso que privilegia o que há de histórico para ver no Porto. A nova rota lançada pela STCP surge um ano após o regresso do eléctrico à Baixa.

"Porto Tram City Tour"- a designação, que não puxa a traduções, servirá como marca registada de uma linha turística que a Sociedade de Transportes Colectivos do Porto (STCP) vai pôr nos carris. São 8,8 quilómetros de percurso, entre a zona do Infante e a Batalha (Guindais), com direitos a guia e a regalias várias, que se destinam a mostrar os principais monumentos de interesse turístico da cidade.

Segunda-feira, 23, é o dia que o amarelo começará a fazer dos carris pretexto para passeios. Domingo, dia em que se celebra o regresso do eléctrico à Baixa enquanto transporte puramente público, haverá cerimónia com direito à pompa e circunstância que o serviço merece.

A STCP caprichou ainda noutros requisitos nestas viagens que custarão 15 euros (os bilhetes são vendidos pelos guarda-freios): para além dos utilizadores terem direito, com um só título, a combinar preços em hotéis, postos de turismo, agências de viagem e quiosques, podem entrar e sair em qualquer paragem, sem pagarem mais por isso. Ou seja, o eléctrico turístico funciona com sistema "hop-on" e "hop-off".

Nas primeiras viagens, os percursos terão guias no veículo. Mas, para além disso, o eléctrico é acompanhdo por um sistema de audio-guia com textos do jornalista Germano Silva.

São quatro as freguesias que o amarelo vai atravessar (S. Nicolau, Miragaia, Vitória e Sé) entre as 9 horas e as 20 horas (fins-de-semana e feriados incluídos), com 17 paragens pelo meio e com diferentes pontos nas idas e voltas .

Fonte da STCP disse, ontem, ao JN que o "Porto Tram City Tour" pretende responder à procura de turistas desde que o eléctrico voltou a calcorrear a Baixa do Porto e que, embora não se destine a isso, pode salvar qualquer um do caos do trânsito.

 

www.jn.pt

Pedro Gomes às 09:01
|