Quarta-feira, 21 de Dezembro de 2011

Linha 1: 10 de dezembro há 100 anos

Foi há precisamente um século! O elétrico nº 163 teve mais uma razão para se tornar distinto, desta vez por um dramático motivo. Esta viatura, que circulou até 1967 e integra a coleção do museu, protagonizou um dos maiores acidentes com carros de tração elétrica.

Viagem iniciada em Leixões com dezenas de “brasileiros” a bordo, desembarcados do paquete Antony para passarem o Natal junto das suas famílias. Ao passar no “Caes das Pedras”, junto à “praia dos insurretos”, o elétrico e os atrelados descarrilaram numa curva apertada e caíram ao rio Douro. Faleceram 14 pessoas. Ainda assim alguns populares não hesitaram em mergulhar na esperança de salvar vidas.

Os prejuízos resultantes para a então Companhia Carris de Ferro do Porto agravaram a situação difícil que já se vivia em virtude da instabilidade política da 1ª República. Já tinham ocorrido duas paralisações e um acidente com uma máquina a vapor que vitimara um motorista nesse ano.

O conselho de administração da CCFP refere-se no relatório de 1911 ao acidente como “triste acontecimento” que “occorreu no Caes das Pedras enchendo o Porto e o Paiz de lucto e de dôr pelas desgraças pessoaes que occasionou.”

Na madrugada do dia seguinte o carro foi retirado do rio.

Hoje o Museu do Carro Eléctrico possui na sua coleção o carro elétrico 163. Um veículo que foi recuperado nas Oficinas Gerais e devolvido à sua traça original. 

Carro Eléctrico 163

in http://museucarroelectrico.wordpress.com/

Pedro Gomes às 11:36
|