Domingo, 11 de Maio de 2008

Linha turística de Eléctricos na Baixa

 

A Baixa do Porto vai acolher, no Verão, um serviço de linhas turísticas de eléctricos, cujo circuito ligará o centro à marginal. Simultaneamente, a STCP está a estudar a extensão das actuais linhas até à Estação de S. Bento e até à Foz.

O serviço turístico que irá estrear-se com dois veículos próprios, pretende ser rentável. Por isso, os preços serão mais elevados do que os praticados nas linhas de serviço público, adiantou ao JN Rui Saraiva, administrador da STCP responsável pelo Museu do Carro Eléctrico. O cenário para o anúncio não poderia ser mais apropriado. Um desfile de nove veículos centenários, onde muitos mataram as saudades do eléctrico, outros o experimentaram pela primeira vez e vários turistas partilharam o momento. Um dos adeptos chegou de Inglaterra. Garth Tilt viaja todos os anos para participar no desfile. "Tenho imenso interesse pelos eléctricos. Venho todos os anos. Costumo ir também a Milão mas prefiro Portugal", disse, ao JN, contando que veio acompanhado de amigos da Holanda, estudiosos da matéria.

O novo serviço, que será testado no Verão, nasce precisamente do grande afluxo, e "pressão" de turistas às linhas de serviço público existentes na Baixa, com o início da operação, no ano passado, da ligação entre o Carmo e a Batalha.

O objectivo é potenciar este "elemento diferenciador" do Porto face a outras cidades europeias e também descongestionar os eléctricos, muito procurados pelos mais idosos nas ruas pendentes do centro da cidade.

Falta, agora, definir preços, horários e frequências, sendo certo "que as linhas turísticas são para ser rentáveis", garantiu Rui Saraiva. Isto ao contrário do serviço público que, apesar das elevadas taxas de ocupação, não é lucrativo, destacou, recordando os custos de recuperação dos veículos (cerca de 200 mil euros cada) e de manutenção.

Pela marginal do Porto, do Infante até ao Passeio Alegre, desfilaram, ontem, nove carros, dois dos quais do início do século XX. Todos eles lotados. Muitas crianças ao colo, muitas máquinas fotográficas na mão, dentro e fora dos veículos, com muita gente a acompanhar a passagem dos carros e a acenar. Os telemóveis serviram a muitos para, do passeio, fotografar a iniciativa. De regresso ao Museu do Carro Eléctrico, estavam já alinhados outros veículos, com mais uma multidão à espera para entrar. Desta vez, eram os chamados "marron", adaptados para ruas mais íngremes e não apenas exemplares de colecção, que partiriam para um segundo desfile, de Massarelos até à Batalha, percorrendo o centro. Uma estreia no desfile anual da STCP, que marca o regresso da operação dos eléctricos à Baixa.

A extensão a S. Bento, a partir do Infante e subindo Mouzinho da Silveira, será uma mais-valia, espera Rui Saraiva. Se esta ligação está a ser estudada com a Câmara, já a extensão da Cantareira, no Passeio Alegre, até ao forte de S. João da Foz e a Praia do Ourigo, também envolve a APDL

 

in Jornal de Notícias

Pedro Gomes às 12:41
|